sábado, 1 de junho de 2013

A Cantata do Café, de Bach (BWV 211)


 Tradução do Libretto:

Narrador
Silêncio, não faleis,
e ouçam o que acontece:
Aí vem o senhor Schlendrian
com sua filha Liesgen,
e ele rosna como um urso,
ouçam o que ela lhe fez!

Aria (baixo)

Schlendrian:
Não são suficientes os cem mil problemas
que se tem com os filhos!
O que todos os dias
à minha filha Liesgen digo
é totalmente inútil.

Recitativo (baixo e soprano)

Schlendrian:
Filha má e rebelde,
Ah! Quando alcançarei meu propósito,
deixa o café!

Liesgen:
Pai, não sejais tão severo!
Se não posso tomar por dia,
três xícaras de café,
ficarei, para meu mal,
mais fraca que uma cabra.

Aria (soprano)

Liesgen:
Mmm! Como é saboroso o café,
mais delicioso que mil beijos,
mais doce que o vinho moscatel.
Café, café eu preciso,
e quem quiser agradar-me,
ah! Que me sirva um café!

Recitativo (baixo e soprano)

Schlendrian:
Se não deixas o café,
não irá mais a nenhuma festa,
nem tampouco passear.

Liesgen:
Ah, tudo bem!
Mas, deixa-me o café!

Schlendrian:
Ah, pequena atrevida!
Não lhe darei saias com aros, como é a moda.

Liesgen:
Me conformo tranquilamente.

Schlendrian:
Nem ficarás na janela,
e não verás ninguém que lá fora passa!

Liesgen:
Tudo bem, mas por favor,
deixa-me o café!

Schlendrian:
Nem tampouco te darei
uma argola de ouro ou prata
para prender o lenço em tua cabeça!

Liesgen:
Bem, bem, mas deixa-me o meu gosto!

Schlendrian:
Liesgen caprichosa,
então cederá em tudo?

Aria (baixo)

Schlendrian:
As moças teimosas
não são fáceis de convencer.
Mas, se se encontra uma maneira,
ah! Se pode conseguir!

Recitativo (baixo e soprano)

Schlendrian:
Farás o que teu pai diz!

Liesgen:
Tudo, menos sobre o café.

Schlendrian:
Bem, então terás de resignar-te
em nunca ter jamais um marido.

Liesgen:
Ah, pai, um marido?

Schlendrian:
Juro que não o terás.

Liesgen:
Até que eu não deixe o café?
Então o deixarei para sempre!
Ouça, pai, não tomarei mais.

Schlendrian:
Então sim, terás um marido.

Aria (soprano)

Liesgen:
Hoje mesmo,
querido pai, o dê-me!
Ah, um marido!
Isto sim que me convêm!
Ah, se em breve
em lugar do café
antes de ir deitar-me,
tivesse um galante enamorado!

Recitativo (tenor)

Narrador:
Agora o velho Schlendrian vai buscar
da maneira que para sua filha
rapidamente possa encontrar uma esposo.
Mas Liesgen em segredo disse:
Nenhum noivo entrará nesta casa
se antes não me promete,
no contrato matrimonial escrito,
que me será permitido
preparar café quando desejar.

Coro (terceto: soprano, tenor e baixo)

Todos:
O gato não deixa os ratos
e às jovens agrada o café.
A mãe ama o café,
a avó também o toma,
quem culpará a filha?