quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

The Girl, e a injustiça sobre Hitchcock

O filme inglês The Girl (2012), produzido pela BBC sobre uma possível relação controversa entre o talentoso cineasta Alfred Hitchcock (aqui já citado em outro post) e a protagonista de The Birds (no Brasil, Os Pássaros) e Marnie (no Brasil, Marnie - Confissão de uma ladra), a atriz Tippi Hedren vem causando um levante em defesa do caráter do grande diretor.


The Girl é dirigido por Julian Jarrold (Amor e Inocência) e conta com roteiro adaptado por Gwyneth Hughes (Sob a Pele) a partir de duvidosos livros biográficos do autor norte-americano Donald Spoto (conhecido autor de Francisco de Assis, o Santo Relutante, que transforma a imagem de São Francisco em um humanista inter-religioso): The Dark Side of Genius: The Life of Alfred Hitchcock de 1983 e Spellbound by Beauty: Alfred Hitchcock and His Leading Ladies de 2008. Em noventa minutos de uma má qualidade de atuação, o filme tenta mostrar uma paixão excessiva de Alfred Hitchcock à Tippi Hedren.


A atriz de Tippi Hedren de 82 anos é interpretada por Sienna Miller, e no filme seria vítima de contínuas moléstias sexuais e de abusos de todo tipo pelo então diretor, durante as gravações de seus dois filmes Marnie e The Birds.


No entanto, o famoso biógrafo de Hitchcock, Tony Lee Moral, autor de três livros sobre o diretor (inclusive dois deles escritos entre os makings de seus filmes abordados no livro de Donald Spoto: The Making of Hitchcock's The Birds e Hitchcock and the making of Marnie) esclarece em The Telegraph que tais histórias imorais sobre Hitchcock e Tippi Hedren servem apenas para macular falsamente a imagem do diretor.


Grandes outras atrizes, que foram marcos no cinema, e musas nas filmagens de Hitchcock vieram também em sua defesa, algumas delas em entrevista ao jornal britânico The Telegraph:


Eve Maria Saint no filme
Intriga Internacional
“Minha experiência com Hitchcock foi de total respeito, cordialidade, simpatia e humor, e North by Northwest foi um momento glorioso em minha vida, Hitchcock foi um gentleman, ele era engraçado, muito atencioso para comigo e com tudo o que minha personagem precisava” disse Eve Marie Saint, que estrelou o filme conhecido no Brasil por Intriga Internacional.



Doris Day
Doris Day, que estrelou The Man Who Knew Too Much com Jimmy Stewart diz sobre o grande diretor: “Ele era apenas ‘Mr. Hitchcock’, maravilhoso, um grande diretor e um ótimo amigo. Eu amei trabalhar com ele.”


Kim Novak, a estrela de Vertigo, também defende Hitchcock: “Ele é um grande diretor e certamente um para ser estudado. Ele era um perfeccionista!”


Entre outros que vieram em sua defesa, esteve Virginia Darcy, cabeleireira conjunta durante as gravações de The Birds e Marnie.


Nora Brown, viúva de Jim Brown, diretor-assistente de The Birds e Marnie, também colocou o filme da BBC sob fogo, pois contribuiu para a realização do filme sobre Hitchcock, pensando ser um retrato afetuoso do diretor. Em entrevista ao The Daily Telegraph, ela diz: “Ele [Jim Brown] não tinha nada além de respeito e admiração por Hitchcock, compreendendo sua personalidade cockney inteligente e bem-humorada, e sempre o achou um gênio”. “Se aqui ele estivesse hoje, duvido que teria algum comentário negativo [a Hitchcock]. Ele estaria triste com a imagem mal-retratada de seu amigo e mentor”, completou Nora Brown.